top of page

Granjas de reprodutores suídeos certificadas: Protegendo a saúde e economia


Protegendo a Saúde e a Economia 


Você sabia que a suinocultura desempenha um papel crucial na economia, mas também requer cuidados especiais para garantir a saúde dos animais e a qualidade dos produtos? Para manter um nível sanitário adequado e evitar a disseminação de doenças, foi estabelecida a Instrução Normativa nº 19 em 2002, com revisões recentes em 2020.



O que isso significa para você, criador de suínos? 


Certificação de Granjas de Reprodutores Suídeos: A certificação é obrigatória para garantir a saúde dos animais e a qualidade dos produtos. As granjas certificadas atendem a requisitos rigorosos de biosseguridade e sanidade. 


Monitoramento Sorológico: Um dos pilares da certificação é o monitoramento sorológico, que permite identificar e controlar doenças como Peste Suína Clássica, Brucelose, Tuberculose, Doença de Aujeszky, Sarna, e outras. 


 Além das doenças obrigatórias, os criadores podem optar por certificar suas granjas como livres de outras doenças como Rinite Atrófica Progressiva, Pneumonia Micoplásmica, Pleuropneumonia Suína e Disenteria Suína. 


Por que isso é importante? 


Garantia de Qualidade: A certificação garante aos consumidores que os produtos suínos são provenientes de animais saudáveis e criados em condições adequadas. 


Sustentabilidade da Indústria: Ao prevenir a disseminação de doenças, a certificação contribui para a sustentabilidade da indústria suinícola, protegendo os rebanhos e os meios de subsistência dos produtores. 


Saúde Pública: Além de proteger a saúde dos animais, a certificação também tem um impacto positivo na saúde pública, reduzindo o risco de doenças transmitidas por alimentos de origem suína. 


Compromisso com a Qualidade: Os criadores de suínos certificados demonstram seu compromisso com a qualidade e a segurança alimentar, construindo confiança com os consumidores e fortalecendo a reputação da indústria. 


Comentarios


bottom of page